Archive for julho, 2013

Glühwein (Vinho quente alemão)

Posted by chm On julho - 24 - 2013ADD COMMENTS

gluhwein. foto http://www.kuechengoetter.de/O Glühwein é uma receita que lembra o vinho quente que servimos nas festas juninas e é muito popular nas feiras e festas de natal para espantar o frio do inverno europeu. Existem muitas variações, mas alguns ingredientes nunca podem faltar: cravos, canela e laranja. Veja uma das receitas de Glühwein, ideal também para esquentar os dias mais frios do inverno brasileiro.

Glühwein (vinho quente alemão)

Ingredientes

  • 1 garrafa vinho tinto seco
  • 3 paus de canela
  • 6 cravos da índia
  • 4 colheres (sopa) açúcar
  • 1 laranja
  • 1 limão
  • 2 saquinhos chá preto (opcional)
  • 200ml rum ou licor de Amaretto (opcional)

Modo de fazer

  1. Coloque o vinho em uma panela. Misture o açúcar, o limão espremido e a laranja espremida.
  2. Faça um sachê e coloque a casca de meio limão, a casca de meia laranja, o cravo e a canela. Feche bem e coloque no vinho.
  3. Esquente bem, mas não deixe ferver. Desligue o fogo, coloque o chá preto (opcional). Dexe 5 minutos em infusão e retire.
  4. Aguarde aproximadamente 1 hora. Após este período, retire o sachê e esquente novamente (sem ferver).
  5. Para servir, coloque uma pequena dose (20ml) de rum ou amaretto (opcional) na xícara e em seguida o Glühwein.

Dicas:
1- Se quiser o Glühwein mais fraco, acrescente 250 ml de água ou suco de laranja à receita.
2- Se desejar, acrescente 150g de ameixas pretas ou cerejas à receita

Sachertorte da Oma

Posted by chm On julho - 15 - 2013ADD COMMENTS

Sachertorte - Foto: http://www.stadt-wien.at/

Sachertorte é um dos símbolos mais tradicionais da confeitaria austríaca. Trata-se da mais famosa torta de chocolate do mundo, criada em 1832 por Franz Sacher. Sua receita é secreta e protegida, e mesmo o nome Sachertorte é reservado. A verdadeira Sachertorte só pode ser provada em Viena, mas muitas receitas procuram se aproximar da combinação de chocolate amargo e damasco.

 



 

Sachertorte da Oma (massa)

Ingredientes

  • 6 ovos inteiros
  • 2 xícaras (chá) açúcar
  • 2/3 xícara (chá) leite
  • 1 1/2 xícara (chá) farinha de trigo
  • 1/2 xícara (chá) cacau em pó
  • 2 colheres (chá) Fermento químico em pó
  • 1 pitada sal
  • a gosto Essência de baunilha

Modo de fazer

  1. Bata os ovos até que fique um creme grosso e claro. Junte o açúcar aos poucos, seguido pelo leite e a essência.
  2. Acrescente a farinha, o cacau em pó e o sal. Por último, desligue a batedeira, adicione o fermento e misture.
  3. Despeje em uma forma bem untada e leve ao forno pré-aquecido a 180 graus por cerca de 15 minutos (faça o teste do palito: quando ele sair seco, estará pronto para tirar do forno.

Sachertorte da Oma (recheio e cobertura)

Ingredientes

  • 2/3 xícara (chá) geleia de damasco
  • 1 xícara (chá) chocolate amargo picado (ou meio amargo)
  • 4 colheres (sopa) manteiga sem sal
  • 2 colheres (sopa) mel

Modo de fazer

  1. Derreta o chocolate com a manteiga e o mel em banho maria. Mexa para homogeneizar.
  2. Divida o bolo já morno ou frio ao meio e recheie com a geleia de damasco.
  3. Cubra com a mistura de chocolate, manteiga e mel.

DICAS:
1- A Sachertorte é tradicionalmente servida acompanhada de chantili e uma xícara de café.
2- Se desejar, decore a Sachertorte com uma mistura de 30g de chocolate amargo, 1 colher (chá) de margarina e 1 a 2 colheres (sopa) de açúcar de confeiteiro. Derreta o chocolate com a margarina e acrescente o açúcar aos poucos, o suficiente para atingir o ponto desejado (parecido com creme de confeitar). Decore com um saco de confeiteiro.
3- Outras opções de decoração: nozes, chantili.
4- A massa pode ser umedecida com uma mistura de leite e rum ou licor de cacau

 


Sülze (quejo de porco) simples

Posted by chm On julho - 7 - 2013ADD COMMENTS

SülzeO “queijo de porco”, na verdade, não tem nada a ver com queijo… Este prato, muito popular na Europa e conhecido em várias partes do mundo, lembra um queijo apenas na apresentação. Trata-se de uma gelatina de carne e miúdos de porco, cozidos com muito tempero. Originalmente, o uso das cartilagens e de partes como a cabeça e os pés faziam com que o prato ganhasse o aspecto gelatinoso quando frio. A receita a seguir é mais simples, feita com gelatina sem sabor, mas igualmente saborosa e um convite para quem ainda não conhece Sülze.

Sülze (queijo de porco) simples

Ingredientes

  • 1 litro água
  • 500g carne de porco (ombro ou barriga)
  • 1 cebola
  • 1 folha louro
  • 3 grãos pimenta
  • a gosto salsinha, cebolinha, alecrim ou caldo de legumes
  • 100 ml vinagre de vinho
  • 200g picles
  • 1 pacote gelatina incolor sem sabor

Modo de fazer

  1. Ferva um litro de água com sal. Lave a carne de porco e coloque na panela com água.
  2. Adicione a cebola cortada em quatro partes, os temperos verdes (aproximadamente 75g no total) ou o caldo de legumes, a folha de louro, os grãos de pimenta e deixe cozinhar por cerca de 1h30.
  3. Retire a carne do caldo, corte em cubos e reserve.
  4. Coe o caldo e separe 400 ml; adicione o vinagre, sal e açúcar a gosto.
  5. Dissolva a gelatina em 5 colheres de sopa de água fria. Deixe descansar por 10 minutos. Enquanto isso, coloque o caldo misturado ao vinagre para ferver. Retire do fogo e acrescente a gelatina. Mexa bem para dissolver a gelatina. Adicione os cubos de carne e os picles
  6. Despeje tudo em uma travessa passada na água fria.
  7. Leve à geladeira por 2-3 horas até solidificar. Para desenformar, passe uma faca nas bordas e coloque sobre um prato.

Dica:
Sirva acompanhado de molho tártaro e batatas fritas.

Chucrute com salsichas

Posted by chm On julho - 5 - 2013ADD COMMENTS

Uma receita simples e prática, ideal para quem quer experimentar o chucrute ou para quem quer preparar sem se preocupar em incluir o Eisbein e o Kassler que normalmente acompanham o prato.

Para a preparação, prepare antes o chucrute caseiro (veja a receita) ou compre o chucrute pronto. Neste caso, procure por uma marca de boa qualidade!

Chucrute com salsichas

Ingredientes

  • 250g Chucrute
  • 1/2 cebola média picada
  • 70g bacon em cubos
  • 1 maçã verde ou fuji picada (opcional)
  • 1 colher (chá) kümmel (opcional)
  • 1 colher (chá) zimbro (opcional)
  • 1 pitada pimenta do reino moída
  • 4 batatas pequenas cozidas
  • 4 salsichas brancas Weiswurst
  • 4 salsichas tipo Frankfurter
  • 4 salsichas tipo Viena
  • a gosto sal

Modo de fazer

  1. Escorra o chucrute e reserve. Se preferir, lave-o rapidamente em água (opcional)
  2. Coloque as batatas com casca para cozinhar em água e sal
  3. Frite o bacon com um pouco de óleo e acrescente a cebola
  4. Quando a cebola estiver murcha, acrescente o chucrute, a maçã (opcional), o kümmel e o zimbro (opcionais), a pimenta e acerte o sal. Refogue ligeiramente e adicione água (aprox. 150 ml). Deixe cozinhar em fogo baixo por aproximadamente 20 minutos
  5. Afervente as salsichas e reserve. Se preferir, coloque a Weiswurst em uma frigideira com pouco óleo para fritar levemente.
  6. Descasque as batatas já cozidas. Se preferir, salteie as batatas em manteiga ou margarina
  7. Sirva uma porção de chucrute com as batatas e as salsichas acompanhadas de mostarda (de preferência a escura)

Dicas:
1- Se optar por lavar o chucrute, tenha muito cuidado para não tirar completamente o sabor. A diferença entre lavar e não lavar o chucrute é apenas deixar o sabor mais leve ou mais ácido. As marcas comerciais de chucrute não costumam precisar serem lavadas.
2- Outra salsicha que acompanha muito bem este prato é a Cervela.
3- Um ótimo acompanhamento para este prato é o Apfelmus.

Marzipã da Oma

Posted by chm On julho - 5 - 2013ADD COMMENTS

marzipã, marzipan, maçapãoApresentamos uma adaptação da receita de marzipã (também conhecido como marzipan ou maçapão)  muito simples e rápida de fazer.

O marzipã (também conhecido como Marzipan ou Maçapão) é uma massa de amêndoas e açúcar quase tão popular quanto o chocolate e de amplo uso na confeitaria para decoração. Por ser muito maleável, o marzipã costuma ser moldado na forma de frutas, animais ou simples bolas cobertas com chocolate ou glacê.

Para saber mais sobre o marzipã tradicional, clique aqui.


 

Marzipã da Oma

Ingredientes

  • 200g farinha de amêndoas
  • 200g açúcar de confeiteiro
  • a gosto óleo de amêndoas amargas
  • 1 clara de ovo

Modo de fazer

  1. Coloque a farinha de amêndoas, o açúcar e o óleo de amêndoas em um processador.
  2. Enquanto processa a mistura, acrescente a clara de ovo aos poucos, uma colher de chá por vez.
  3. Quando a massa der liga e formar uma bola, o marzipã estará pronto.

Dicas:
1- O óleo de amêndoas amargas pode ser substituído por essência de amêndoas, com alteração no sabor.
2- Para mais informações e dicas, veja a receita do Marzipã de Lübeck aqui.

Marzipã de Lübeck

Posted by chm On julho - 3 - 20132 COMMENTS

marzipã, marzipan, maçapão

O marzipã (também conhecido como Marzipan ou Maçapão) é uma massa de amêndoas e açúcar quase tão popular quanto o chocolate e de amplo uso na confeitaria para decoração. Por ser muito maleável, o marzipã costuma ser moldado na forma de frutas, animais ou simples bolas cobertas com chocolate ou glacê.

O marzipã tem origem na Pérsia (atual Irã) e foi levada à Europa pelos árabes no final da Idade Média. Os primeiros registros do doce no continente europeu são de Veneza, no século XIII. Já no século XIV o marzipã era muito popular entre a nobreza europeia e chegou até mesmo a ser produzido como medicamento para combater prisão de ventre e flatulência, e também como estimulante sexual.

Desde o século XIX, as cidades de Lübeck, na Alemanha, e Tallinn (atualmente parte da Estônia), reinvindicam a invenção do marzipã como conhecemos hoje. A receita a seguir é uma simplificação inspirada no Marzipã de Lübeck.

Marzipã (Marzipan ou Maçapão) de Lübeck

Ingredientes

  • 250g açúcar de confeiteiro
  • 250g farinha de amêndoas
  • a gosto óleo de amêndoas amargas
  • 5 colheres (sopa) água de rosas

Modo de fazer

  1. Peneire o açúcar sobre a farinha de amêndoas. Junte a água de rosas e o óleo de amêndoas amargas (sugestão: cerca de 3 gotas). Amasse bem até que a massa fique firme e maleável.
  2. Faça pequenas bolas, molde frutas ou animais, ou polvilhe açúcar de confeiteiro sobre uma superfície lisa e abra a massa até aprox. 0,5 cm de espessura e corte a massa com uma faca ou com moldes polvilhados em açúcar de confeiteiro.
  3. Disponha o marzipã moldado em uma forma e leve ao forno a 140 graus por 15 minutos para secar.
  4. Depois de frios, o marzipã pode ser coberto de chocolate ou glacê.

Dicas:
1. Para fazer sua própria farinha de amêndoas, compre as amêndoas não torradas. Passe-as pela água fervente para amolecer a pele, escorra, retire as peles e deixe secar de um dia para o outro. No dia seguinte, passe as amêndoas pelo processador ou liquidificador.
2. Se não encontrar o óleo de amêndoas amargas, use essência de amêndoas. Tenha em mente que esta substituição altera o gosto final do marzipã.
3. A água de rosas pode ser encontrada em empórios, lojas de produtos orientais e de produtos naturais. Se puder produzir sua própria água de rosas, separe 2 xícaras de pétalas de rosas da mesma cor, cultivadas sem agrotóxicos, e despeje sobre elas 500 ml de água fervente. Deixe em infusão por 30 minutos, coe e guarde na geladeira, em um pote ou garrafa de vidro bem fechado.
4. Na impossibilidade de encontrar a água de rosas, use água filtrada ou mineral. Assim como ocorre com a substituição do óleo de amêndoas amargas, esta substituição altera o gosto final do marzipã.
5. O gosto do marzipã apura com o tempo.
6. Use esta receita para pães, bolos e biscoitos que pedem marzipã na massa.

Receita básica de Chucrute (Sauerkraut)

Posted by chm On julho - 2 - 20132 COMMENTS

Exemplo de chucrute. Foto: Alina Zienowicz, Wikipedia

Chucrute é quase sinônimo de alemão… Irônico, porque chucrute em alemão é Sauerkraut! O nome, na verdade, pouco importa: o fato é que o chucrute, que nada mais é do que uma conserva de repolho, é conhecido em todo o mundo e muito consumido, especialmente na Europa e nos Estados Unidos.

As origens do chucrute são bem antigas. Há relatos da prática de conservar o repolho em sal já na China de 2000 a.C e tratados romanos que tratam do assunto. O chucrute chegou a Europa provavelmente trazida pelos Tártaros, povo que originalmente habitava o deserto de Gobi e migrou para o oeste, chegando à Rússia e Europa Central. A popularidade do chucrute deve-se também ao fato dele ser uma fonte de nutrientes disponível durante o inverno europeu e uma forma prática de alimentação durante viagens marítmas, combatendo, inclusive, males como o escorbuto.

O chucrute caseiro é um alimento saudável e muito benéfico ao organismo:

  • – probiótico natural, com lactobacilos vivos (quando não pasteurizado e não cozido)
  • – rico em enzimas e fibras
  • – rico em vitaminas B6, C e K
  • – rico em ferro
  • – fonte dos antioxidantes luteína e zeaxantina, associados à boa saúde dos sistema ocular
  • – O chucrute é um remédio popular para tratar úlceras no estômago
  • – A água do chucrute é um remédio popular contra aftas, usado para fazer bochechos, e o próprio chucrute costuma ser colocado sobre a afta para ajudar no tratamento.

Uma advertência: devido ao processo de preparação, o chucrute contém alto teor de sódio e de tiramina. Hipertensos e pessoas com problemas na tireóide devem consumir o chucrute com moderação.

O chucrute caseiro é muito fácil de fazer (bastam apenas alguns cuidados durante o tempo de fermentação) e acompanha muitos pratos.

Chucrute em conserva

Ingredientes

  • 1 repolho médio
  • 2 colheres (sopa) sal marinho triturado

Modo de fazer

  1. Lave muito bem o repolho e descarte as folhas externas e o miolo. Corte em tiras finas.
  2. Tempere com o sal.
  3. Coloque tudo em um recipiente em possa ser colocada uma tampa ou prato que feche bem e aguente um peso, mais ou menos como uma forma de queijo, mas sem os furos. Prense bem, coloque a tampa e um peso por cima.
  4. Deixe descansar em um local fresco e escuro por 2 dias. A temperatura ideal é entre 18 e 20 graus.
  5. Passados os dois dias, retire a tampa e pressione com as mãos para tirar a água. Descarte a água e coloque o repolho em um pote hermético ou barrica de forma que o conteúdo preencha quase todo o recipiente, deixando cerca de um dedo entre a tampa e o conteúdo do pote.
  6. Guarde o pote bem fechado em um local fresco e escuro, como antes. Aguarde pelo menos 15 dias para poder usar.

Dicas:
1- O chucrute fica mais saboroso com o passar do tempo, observando o prazo de validade de 6 meses.
2- Tenha muito cuidado com o processo de fermentação. As bactérias benéficas responsáveis pelo processo precisam de pouquíssimo oxigênio, razão pela qual o repolho deve ser bem prensado. Muito oxigênio (tampa inadequada, temperatura muito alta, pouco peso sobre a tampa) pode favorecer o crescimento de bactérias nocivas que farão o repolho apodrecer ao invés de fermentar.